Pesquisa mostra que 88,7% dos profissionais de Geo continuaram trabalhando durante a pandemia

Segundo estudo realizado pelo AnáliseGeo, o mercado de geotecnologias buscou se adaptar ao home office e se capacitar on-line no período de quarentena

Diante da necessidade de contenção do avanço do novo coronavírus, profissionais que atuam nas áreas de georreferenciamento e geotecnologias tiveram que se adaptar ao home office, mas isso não fez com o que o mercado parasse de realizar suas atividades. 88,7% dos profissionais que responderam à pesquisa sobre Mercado de Geo confirmaram que continuaram trabalhando durante a quarentena, iniciada em março de 2020. Para 37,4% dos participantes, a suspensão de serviços de campo foi a principal dificuldade encontrada para exercer as atividades neste período.

Para o engenheiro cartógrafo Miguel Pedro da Silva Neto, coordenador da iniciativa, o resultado é muito representativo. “No segmento de georreferenciamento de imóveis rurais, um dado bem significativo representa bem os resultados apresentados pela pesquisa. De março a agosto de 2020, foram certificados pelo INCRA, através do Sistema de Gestão Fundiária - SIGEF, mais de 56 mil parcelas, ou seja, cerca de 10% de tudo que já foi certificado pelo sistema em sete anos de funcionamento”, analisa Neto.

Miguel Neto, AnáliseGeo

Miguel Neto, coordenador da Pesquisa sobre o Mercado de Geo 2020 (Foto: Soraia Carvalho)

A pesquisa aponta uma satisfação dos profissionais em relação ao mercado atual, apesar da concorrência acirrada (32% dos respondentes apontaram como principal dificuldade para gerar novos negócios), e da dificuldade para prospectar novos clientes.

Busca pelo Conhecimento On-line

A necessidade de adaptação para a nova realidade de trabalho remoto incentivou que os profissionais de geotecnologias passassem a consumir vídeo aulas no YoutTube (72,3%), participar de grupos de WhatsApp (59%) e assistir lives no Instagram (56,9%), confirmando a importância destas redes sociais para atualização constante (41,03%).

Ao serem questionados sobre quais conteúdos técnicos os profissionais de Geo tem interesse em investir, 60,50% dos entrevistados indicaram ter interesse em REURB, 56,4% em habilitação para Piloto de Drone/Vant, e 55,4% em Georreferenciamento de Imóveis Urbanos.

Perfil dos entrevistados

  • 87,7% são do sexo masculino

  • 73,3% tem de 26 a 45 anos

  • 55% dos profissionais tem especialização, mestrado ou doutorado

  • 61,10% tem graduação em agrimensura, cartografia, agronomia ou geografia

  • 91,3% dos respondentes atuam diretamente no mercado de Geo

  • 78,1% atuam com prestação de serviço e 27,5% no serviço público

  • 45,1% é dono ou sócio de empresa; 22,1% é empregado ou servidor público; 19% atuam em empresa privada

  • 37% dos respondentes já tem uma empresa formal; 20% empreendem sem formalização do negócio; 27% tem interesse em empreender.

Pesquisa

Realizada pelo blog AnáliseGeo, em parceria com a Duas Ideias, no período de 13 de julho a 06 de agosto de 2020, com um total de 195 respondentes de 21 estados do Brasil, a pesquisa teve como objetivo principal coletar dados sobre o comportamento e tendências do mercado de Geo, dentro do atual contexto de pandemia do Covid-19. O questionário foi direcionado para Engenheiros Agrimensores, Cartógrafos, Civil, Agrônomos, Florestal e Ambiental, além de Geógrafos e Geólogos, Topógrafos, e Técnicos Agrícolas, em Edificações e em Agrimensura, que atuam com negócio próprio, em empresa privada ou instituição pública.

Relatório

O resultado da pesquisa foi apresentado nesta terça-feira (01/09), em live realizada no perfil do instagram.com/analisegeo, com Miguel Neto e Dionísio Junior, do IQuali. Clique para acessar a vídeo gravado.

O relatório completo está disponível no aqui.

GEORREFERENCIAMENTO DE IMÓVEIS RURAIS

marca_analisegeo.png
MAIS RECENTE: